TDC 2019
São Paulo
O encontro de comunidades e empresas no Brasil

Trilha Acessibilidade Ao remover barreiras para conectar pessoas, criaremos uma ponte para a igualdade

A acessibilidade digital visa eliminar barreiras no acesso a produtos, serviços e outros recursos tecnológicos, permitindo que pessoas com deficiência tenham os mesmos direitos e condições de autonomia das demais pessoas.

Em um país com mais da metade da população conectada à Internet, a discussão sobre a acessibilidade nos meios digitais se faz fundamental, já que quase 25% da população tem algum tipo de deficiência que pode impactar seu acesso a conteúdos digitais.

Permitir que pessoas com deficiências possam utilizar a tecnologia sem obstáculos não é mais um diferencial para as empresas de tecnologia, mas um direito de todo cidadão, que ganhou maior respaldo após a Lei Brasileira de Inclusão.

Nesta trilha serão apresentados os principais estudos e cases sobre a acessibilidade digital, desde boas práticas para programação até aplicações das mais diversas áreas, como Internet das Coisas, Aplicações Web, Tecnologia assistiva dentre muitos outros.

Palestras

Importante: A grade de palestras está sujeita a alterações sem prévio aviso.
Conteúdo
08:00 às 09:00 Credenciamento e recepção dos participantes

Todas as pessoas inscritas, palestrantes, coordenadores e de imprensa, devem retirar seus crachás e kit do congressista nos balcões de credenciamento localizados na entrada do evento, para obterem acesso às salas e Auditório Principal.

09:00 às 10:00 Abertura do evento no Auditório Principal

Após o credenciamento, convidamos os participantes a comparecerem ao auditório para receberem as boas vindas por parte dos realizadores e patrocinadores.

Neste keynote de abertura, todos serão orientados sobre o funcionamento do evento, destaques e outras novidades.

10:10 às 11:00 Interface inclusiva: Nem sempre o que é bonito é para todos.
Sandyara Peres
Todo designer e desenvolvedor front-end quer fazer o seu produto o mais belo possível mas nem todos pensam que o mais belo pode causar estranheza para alguns. De acordo com o IBGE (2010), 45,6 milhões de pessoas declararam ter pelo menos um tipo de deficiência, seja do tipo visual, auditiva, motora ou mental/intelectual: cores, alinhamentos, estruturas, mensagens, ícones e textos podem confundir pessoas com transtornos de aprendizagem, autistas, surdos e até mesmo pessoas com deficiências físicas. São muitos pontos a se pensar quando se trata de acessibilidade, como posso então atingir o máximo de público possível?
Porque criamos a primeira pesquisa brasileira do uso de leitores de tela
Maurício Pereiro / Marina Yonashiro
Vamos mostrar através do olhar da própria comunidade de diversidade funcional brasileira alguns pontos como: - qual o leitor de telas mobile e desktop é mais utilizado; - qual o navegador mais utilizado; - quais os métodos de navegação são conhecidos e usados. E esses resultados vão impactar a experiência de quem desenha as telas, cria os fluxos do usuário, desenvolve a interface e claro, para quem faz os testes, demonstrando que os caminhos para realizar uma grande diferença na comunidade é muitas vezes mais simples do que estamos imaginando.
11:10 às 12:00 Projetando experiências acessíveis para, ou melhor, COM os idosos
Anne Lesinhovski

Com o aumento da população idosa, no Brasil e no mundo, é cada vez mais necessário pensar em projetos que ofereçam uma boa experiência para estes usuários.

Contarei, por meio de um relato de experiência, quais são as diretrizes de acessibilidade (WCAG 2.0) e quais as boas práticas de usabilidade sugeridas para projetos destinados ao público idoso. Da interface ao código.

Ao final, apresentarei um guia com recomendações que podem ser seguidas ao desenvolver interfaces web especificamente para idosos.

Bônus: Esse guia foi elaborado com a aplicação do método de design chamado Design Participativo, então você também vai conhecer um pouco sobre esse método cocriativo de soluções.

12:10 às 13:00 Você está especificando adequadamente a acessibilidade de seus produtos e serviços?
Marcelo Sales

É cada vez mais comum pensar na acessibilidade de seus projetos, mas também é muito comum não saber como especificar adequadamente antes que ele chegue na mão de designers e desenvolvedores. Será que o material recebido por esses membros do time está especificado de forma clara, simples e eficiente? O que você precisa pensar sobre acessibilidade ainda na fase de concepção de seu produto ou serviço? Como antecipar possíveis problemas de produção? É possível envolver usuários durante a fase de criação? E as "histórias de usuários", como o time está escrevendo-as e recebendo-as? Que tal aprender de uma vez, como pensar de forma eficiente a acessibilidade de seus produtos e serviços?

Agilidade inimiga da Acessibilidade?
Fernanda Kussama Pellegrini / Marcelo Anjos

Desde a publicação do Manifesto Ágil vemos a comunidade de software discutir com bastante entusiasmo como deixar de se desenvolver software seguindo o modelo cascata passando a usar os famosos métodos ágeis. Infelizmente, a questão da acessibilidade digital não causa tanto interesse na comunidade quanto os métodos ágeis. Ainda há muito o que se fazer para conscientizar a sociedade em relação a inclusão das pessoas com deficiência tanto para o mundo físico quanto para o digital. Nesta palestra discutiremos as principais causas deste problema e, principalmente, sobre como os métodos ágeis impactam a acessibilidade digital negativamente.

13:10 às 14:00 Intervalo para Almoço
Uma excelente oportunidade de todas as pessoas no evento interagirem e trocarem ideias, colaboradores, empresas patrocinadoras e apoiadoras, palestrantes e coordenadores.
14:10 às 15:00 Linguagem de Programação em Libras
Flavio Milani / Joao Torres Moreira

Apresento a mini-palestra sobre a linguagem de programação em Libras como entender a importância de programar em qualquer linguagem com uso de lógica de programação, conceitos básicos e ilustrações de forma clara com uso de Libras (Língua de sinais brasileira) para o público-alvo: pessoas surdas e ouvintes que sabem a Libras de nível básico ou tem interesse de aprender.

Fora da caixa de som: tecnologias assistivas são mais do que leitores de tela
Cristina Stoll / Marina Yonashiro
A tecnologia assistiva é a ponte que liga a pessoa com deficiência e seu aplicativo ou site. Nos últimos tempos, popularizaram-se os leitores de tela principais, como NVDA, TalkBack e VoiceOver, que pessoas cegas utilizam para acessar conteúdo por voz. Começamos a entender o papel de um leitor de tela, mas como uma pessoa com outra deficiência, como surdocegueira, lê mensagens na tela? Como uma pessoa sem coordenação motora fina chega ao botão para fazer login em uma rede social? Como uma pessoa sem braços consegue realizar uma compra online? Nessa palestra, vamos pensar "fora da caixa de som" para entender as outras tecnologias assistivas que são utilizadas.
15:10 às 16:00 Envolvendo um usuário cego como beta tester de um app de esportes.
Rafael Xavier
Após um aplicativo voltado ao entretenimento de futebol receber inúmeras críticas de acessibilidade, conseguimos convidar um usuário cego deste produto a fim de criar uma relação com time de desenvolvimento e cliente. Eles entenderam as suas dores, analisaram como usava o produto, conheceram seus hábitos de consumo e o promoveram a beta tester. Criamos uma rotina de ajuda mútua a cada versão desenvolvida onde o usuário participava com críticas e sugestões. Muitas eram atendidas e outras dependiam de priorização de backlog. Foi uma experiência bem rica de aprendizado com esse tipo de público tão especial e que normalmente o negócio não dá a devida atenção.
Jornada de Acessibilidade: de onde partimos e onde queremos chegar
Thiago Segantini Nogueira / Hildebrando Júnior

Há pouco mais de três anos começamos a jornada de acessibilidade em nossa companhia, anteriormente havia algumas iniciativas tímidas mas ainda muito distante do ideal de experiência que gostariamos de proporcionar aos nossos clientes. Provocados por um colaborador com deficiencia visual iniciamos uma area especifica de qualidade e testes focada em acessibilidade. Nessa palestra queremos compartilhar um pouco do que conquistamos nessa jornada e o que ainda queremos fazer em prol da inclusão social.

16:00 às 16:30 Coffee-break e Networking

Durante o intervalo de coffee-break, serão entregues kits contendo suco e biscoitos. Um delicioso intervalo para relaxar, conhecer novas pessoas e estreitar contatos.

Neste tempo, também surge a oportunidade de todas as pessoas no evento interagirem entre sí, participantes das trilhas, empresas patrocinadoras e apoiadoras, palestrantes e coordenadores.

16:40 às 17:30 AssistThings - Hackeando deficiências
Rodrigo Ferraz Azevedo

A tecnologia evoluiu ao ponto de substituir pessoas em tarefas profissionais, porém não usamos nossa empatia para solucionar problemas de pessoas com deficiência e não geramos conhecimento e propostas suficientes para a total inclusão. AssistThings é um grupo de hackers que usa tecnologia, principalmente IoT e Inteligência Artificial, para criar hardware e software com o fim de resolver problemas de pessoas com algum tipo de privação ou deficiência e idosos.

Projects - Innovation - Technology - Inclusion
Alfonso Balderas Torres / A N M Bazlur Rahman

Deaf Tech began in México on may the 25th, 2013, with our participación in Angel Hack. There I started a personal Project wich aims to create technology for Deaf People made by a Deaf Person. Since then I have had other ideas like training curses in varios issues related with technology for Deaf People. There are a lot of Deaf People in Mexico that are studying careers and themes related to technology and sometimes it is hard for them to pay attention to their teachers and interpreters at the same time. That´s where I got the idea that it i

Testes de Acessibilidade - Porque todos tem direito à qualidade
Luan Linares

Embora esteja em crescimento no Brasil, os testes voltados para acessibilidade são um mundo desconhecido para empresas e profissionais. O intuito dessa palestra é clarear a mente, abordando alguns conceitos e boas práticas no teste de acessibilidade, elevando a qualidade do nosso software e o tornando tangível a todos, independente de sua deficiência.

17:40 às 18:30 Foco, do essencial ao desnecessário. Principios da acessibilidade para garantir um bom gerenciamento de foco.
Gisely Lucas

Uma aplicação web acessível, permite que diferentes usuários tenham acesso ao conteúdo disponível. Mas como nós, pessoas envolvidas no desenvolvimento, projeto e teste de aplicações digitais, podemos gerar um produto acessível para todos? O que precisamos saber para desenvolver uma aplicação digital, seja ela web ou através de um aplicativo móvel? Mas você sabe quais informações são relevantes ao usuário para garantir isso? Sabe a importância de um bom gerenciamento de foco? O que realmente merece ser Focado e o que não deve receber o foco? Se você não sabe a resposta para essas perguntas, ou tem dúvida sobre as melhores prática

Como construir páginas web acessíveis para pessoas com deficiência
Simone Freire / Odilon Gonçalves / William Gabriel Chimello Daflita
Abordaremos as melhores práticas para a construção de páginas que considerem a experiência de navegação do usuário com algum tipo de deficiência (um público estimado em 45 milhões de brasileiros). Abriremos com uma sensibilização, mostrando, na prática como se dá essa experiência de navegação; seguiremos com três breves sessões de boas práticas (DEV, design e conteúdo); e encerraremos com exemplos práticos e dúvidas.
18:40 às 19:00 Encerramento e Sorteios

No horário de encerramento, todas as trilhas serão direcionadas de suas salas para o Auditório Principal, mesmo local da abertura.

Após a apresentação de resultados do dia, muitos sorteios fecharão o dia.

Data e Local

Sábado, 20 de Julho de 2019

10 às 19 h

Universidade Anhembi Morumbi

Rua Casa do Ator, 275
Vila Olímpia | São Paulo - SP

Informações sobre Data e Local


Público Alvo

Pessoas desenvolvedoras web e mobile, designers, analistas de teste, pessoas gestoras de TI, pessoas que atuam no setor público e privado e cientistas-pesquisadores


Investimento

presencial:R$ 290,00

Fazendo sua inscrição presencial, você terá acesso a esta trilha e no mesmo dia também:
TDC Expo: Venha conversar com pessoas e conhecer empresas incríveis.
Trilha Carreiras: Você poderá assistir às palestras da trilha Carreiras do mesmo dia.
Trilha Stadium: Você poderá assistir às palestras da trilha Stadium do mesmo dia.


Palestrantes desta trilha

Alfonso Balderas Torres
Alfonso Balderas Torres
OCCMundial, DeafTech and WorldDeafTech
A N M Bazlur Rahman
A N M Bazlur Rahman
bKash Limited
Anne Lesinhovski
Anne Lesinhovski
Mirum Agency
Hildebrando Júnior
Hildebrando Júnior
Itaú Unibanco
Marcelo Anjos
Marcelo Anjos
SIDI (Samsung Instituto de Desenvolvimento para Informática)
Marcelo Sales
Marcelo Sales
Itau Unibanco
Marina Yonashiro
Marina Yonashiro
everis Brasil
Maurício Pereiro
Maurício Pereiro
Itaú - Unibanco
Odilon Gonçalves
Odilon Gonçalves
Espiral Interativa
Rodrigo Ferraz Azevedo
Rodrigo Ferraz Azevedo
Sintesoft Tecnologia
William Gabriel Chimello Daflita
William Gabriel Chimello Daflita
Movimento Web para Todos

Patrocinadores

Diamond





Patrocinios e Apoios Trilha e Workshop


Programa +Diversidade


Atendimento Corporativo


Realização

instituição Parceira

TDC Online